Cobertura de banda larga nas fazendas brasileiras pode dar salto de produtividade no agronegócio

No início da década de 1970, o Brasil era um país importador líquido de alimentos. Nessa época, a população nacional era de 94 milhões de habitantes. Hoje, já é considerado o maior exportador de líquido de alimentos do mundo, sendo o excedente de alimentos exportados responsável por alimentar 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo e, também, por 25% do PIB brasileiro.

De acordo com o professor Alexandre Mendonça de Barros em uma publicação recente da Embrapa, chamada “Visão 2030”, as revoluções química, biológica e de mecanização foram as grandes responsáveis pelas inovações do agronegócio nos tempos atuais. Ele explica que a produção de alimentos cresceu não só no Brasil, mas em todo o mundo. Porém, as três revoluções citadas anteriormente não garantem por si só o acréscimo na produção de alimentos necessário para o mundo até 2050. A ONU estipula que haverá um aumento populacional, fazendo com que a população mundial seja de aproximadamente 9,7 bilhões de pessoas, bem acima dos 7,7 bilhões atuais.

Além de estarmos em um processo contínuo de urbanização, o que acaba gerando um aumento no consumo de alimentos processados, ainda existem 1 bilhão de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, ou seja, que também não se alimentam de maneira correta. Hoje, pouco mais de 10% vivem abaixo da linha da pobreza. Assim, o novo paradigma de produtividade no campo depende de três elementos novos e sintetizados pelo acrônimo TAM – Technology, Analytics e Management (gestão), conceito difundido pela consultoria EloGroup. Esses novos elementos devem ser combinados com os três elementos do antigo paradigma, já citado anteriormente (química, biologia e mecanização).

Analytics e sua aplicação no agronegócio

Analytics é o uso aplicado de dados (descritivos, preditivos ou prescritivos), análises e raciocínio sistemático para seguir em um processo de tomada de decisão muito mais eficiente. Um dos maiores desafios atualmente é como transformar os dados coletados em informações valiosas para desenvolver mais sua operação e seu negócio.

Dentro das fazendas, o novo paradigma permite a aquisição e processamento de dados operacionais em tempo real, aplicando análises avançadas para aumentar a produtividade e reduzir custos, por meio do uso adequado de recursos naturais, defensivos agrícolas e fertilizantes. Milhões de dados são gerados diariamente no campo: informações sobre solo, ar, água, planta, condições climáticas e parâmetros agronômicos. Antes, a coleta dos dados era manual. Agora, os dados são cada vez mais digitalizados: estações meteorológicas, drones, VANTs, nano satélites, telemetria em máquinas e tratores e irrigação. Dessa maneira, é possível identificar pragas e doenças mais facilmente, deficiência nutricional, crescimento vegetativo e “prever” a produtividade.

A ampliação da cobertura de banda larga nas fazendas brasileiras possibilitará cada vez mais o uso de inovações tecnológicas. E isso garantirá o novo salto de produtividade do agronegócio brasileiro.

FONTES:

Infomoney
Cobertura de banda larga nas fazendas brasileiras pode dar salto de produtividade no agronegócio
Gostou? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *